A Fibrose Cística, também conhecida como Mucoviscidose, é uma doença genética que afeta uma enzima que dilui nossas secreções. Com a enzima alterada, os pacientes com essa doença terão fluidos corporais bem mais viscosos que o normal, facilitando retenção de bactérias, levando-os a apresentar infecções de repetição, principalmente das vias respiratórias e do trato gastrintestinal.

Clique para saber mais

Quando desconfiar?

Se a pessoa tem sinusite ou asma de difícil controle, tem pneumonias de repetição, associados ou não a quadros de desnutrição (por má absorção) e diarreia (a pessoa pode apresentar fezes espumosas, que boiam no vaso), é imperativo desconfiar de Fibrose Cística.

Porém, a apresentação da doença é muito variada. Há pessoas com quadros mais leves, só de sinusite, ou só de diarreia. Não é sempre que o quadro é clássico, rico nos sintomas que já esperamos. O que necessitamos é aumentar o nosso desconfiômetro nesses casos.

Como descobre?

Facinho! Pelo teste do suor!  O laboratório vai medir a quantidade de sódio que há no suor. Se estiver aumentada, é fibrose cística. Peça o teste do suor para o seu filho.

Tem cura?

Não, afinal é um probleminha no gene, que não forma as enzimas.

Mas… tem tratamento?

Tem! A reposição das enzimas que podem ser ingeridas durante as refeições. O médico vai acompanhar o paciente durante a vida toda, adequando a quantidade das enzimas conforme o quadro apresentado. E também vai tratar os probleminhas, se eles surgirem (crises de sinusite, pneumonia ou má absorção).

Infelizmente, o diagnóstico ainda é tardio no Brasil, justamente pela falta de conhecimento sobre a doença. Por isso é importante a divulgação desse conhecimento que você acabou de adquirir. Quanto mais pessoas souberem dela, mais testes do suor serão realizados, mais diagnósticos serão feitos e mais cedo será o tratamento dos diagnosticados!

E o que o Teste do Pezinho tem a ver com isso?

O Teste do Pezinho vai diagnosticar a doença ainda na primeira semana de vida! Quer diagnóstico mais precoce que este?! Assim, a criança já trata e tem a oportunidade de ter uma melhor qualidade de vida e de crescer sem tantos problemas quanto teria se não repusesse as enzimas!

Clique para saber mais